Desvio de Septo

O que é desvio de septo ?

Desvio de septo

 

         O septo nasal é a estrutura que divide por dentro as duas fossas nasais (os dois lados do nariz). Ele é constituído de osso e cartilagem. Quando, por algum motivo, o septo não está centrado (bem no meio do nariz) ele se torna um obstáculo para a passagem de ar, dificultando a respiração.

 

 

 

 

O que é hipertrofia de cornetos ?

      Os cornetos são tecidos esponjosos que se encontram dentro do nariz e são responsáveis, dentre outras coisas, por controlar o fluxo de ar. A hipertrofia de cornetos ocorre geralmente por causa de rinites, sinusites, uso indiscriminado de gotas nasais ou indiretamente pelo próprio desvio septal. Nestes casos, os cornetos encontram-se inchados (hipertróficos) e com isso dificultam a passagem do ar.

 

Como se resolve o problema do desvio de septo e da hipertrofia de cornetos?

      A solução definitiva é mesmo com a cirurgia. Isso porque trata-se de um problema eminentemente mecânico: o septo está torto e os cornetos estão grandes, atrapalhando a passagem do ar. Não é possível apenas com medicamentos desentortar o septo e diminuir o tamanho dos cornetos.

      A cirurgia permite reposicionar o septo no centro do nariz e reduzir os cornetos para o tamanho adequado, restabelecendo o fluxo de ar.

 

 

Todo mundo que tem desvio de septo deve operar ?

         Não, só aqueles que têm queixas de obstrução nasal significativas. Essa é realmente uma questão muito importante. Muitas vezes escutamos essa pergunta "Mas o senhor acha que tem mesmo que operar?". A resposta para essa pergunta deve ser "quem vai dizer da necessidade ou não da cirurgia é o paciente". Isto é, se o desvio de septo causa incômodo ao paciente, tem um impacto significativo na QUALIDADE DE VIDA do paciente, então deve ser corrigido. Se o paciente não se sente incomodado, não acha que respira mal pelo nariz, então não há indicação de cirurgia.

         São basicamente duas as indicações cirúrgicas para correção de desvio de septo: obstrução nasal significativa e sinusites de repetição.

 

É preciso cortar o nariz por fora?

 

         Não. A cirurgia é inteiramente realizada por dentro do nariz (através das narinas), com o auxílio de endoscópios e espéculos. A cirurgia não deixa nenhuma cicatriz no rosto.

 

Faz no consultório? Quanto tempo demora?

 

          Não. A cirurgia é feita em um hospital. A duração do procedimento é de aproximadamente uma hora.

 

Quanto tempo tenho de ficar internado?

 

           O paciente costuma receber alta no mesmo dia da cirurgia, ao final do dia. Por vezes, para maior conforto do paciente, a alta é dada no dia seguinte ao da cirurgia pela manhã.

 

A anestesia é geral?

 

           Na maioria das vezes sim. A expressão “anestesia geral” muitas vezes assusta o paciente, mas quer dizer simplesmente que serão feitas medicações (venosas ou inalatórias) para que o paciente não fique acordado durante o procedimento, só recobrando a consciência quando a cirurgia já estiver terminada. É a forma mais confortável e segura para o paciente, que realizará todos os exames de avaliação pré-operatória para o procedimento.

           Em casos especiais, a cirurgia nasal pode até ser realizada com anestesia local e sedação, mas não é a opção mais usual, pois pode ser desconfortável para cirurgião e paciente.

 

O rosto incha muito depois que opera?

 

           Não. Só ocorre inchaço e equimoses nas cirurgias estéticas nasais (rinoplastias). As cirurgias funcionais (para melhorar a respiração) praticamente não causam edema nem hematomas.

 

Dói muito?

 

            Não. A cirurgia de nariz não é uma cirurgia dolorosa no pós-operatório. Mesmo assim a dor ainda pode ser controlada com o uso de analgésicos conforme necessário.

 

Incomoda muito?

 

           O que mais incomoda no pós-operatório é que o nariz entope bastante. No primeiro mês após a cirurgia é preciso lavar o nariz com soro várias vezes ao dia para desentupi-lo.

 

Ouvi falar em um tal de tampão que coloca no nariz quando opera, que para tirar dói muito. É verdade?

 

           O tampão nasal era uma espécie de curativo colocado no nariz ao final da cirurgia para evitar sangramentos e que realmente incomodava bastante o paciente até ser retirado, no primeiro ou segundo dia pós-opératório. Hoje em dia nós não usamos mais o tampão nasal, a não ser em raros casos de sangramento aumentado.

           Em alguns casos, utiliza-se sim uma pequena membrana de silicone que é posicionada junto ao septo nasal (dentro do nariz) ao final da cirurgia, chamada SPLINT. A função do splint é garantir uma boa cicatrização do septo e do corneto operado. O splint NÃO TEM nada a ver com tampão nasal. Ele é removido em torno do sétimo dia pós-operatório e sua retirada não é dolorosa.

 

Eu vou respirar melhor depois da cirurgia?

 

           Sim (afinal você operou para isso), mas não de imediato. Nas primeiras semanas pós-operatórias o nariz ainda entope com muita frequência. O nariz vai desentupindo aos poucos. O paciente não deve esperar melhora acentuada da obstrução nasal no primeiro mês, pois o nariz ainda está cicatrizando.

 

Quanto tempo eu preciso ficar afastado do trabalho?

 

           Em torno de 7 a 10 dias já é possível retornar as suas atividades, desde que não exija grandes esforços físicos.

 

Quanto tempo até eu poder voltar a correr, fazer ginástica ou musculação?

 

          Para exercícios físicos de maior impacto recomendamos aguardar 45 dias, para evitar sangramentos nasais.

 

Quais os cuidados e restrições após a cirurgia?

 

           O paciente que operou do nariz não pode fungar nem assoar o nariz com força, para evitar sangramentos. Como o nariz entope com frequência após a cirurgia, é preciso lavar o nariz com jatos de soro fisiológico para desentupi-lo. Essas lavagens devem ser diárias nas primeiras 6 semanas.

           Não há nenhuma restrição alimentar, a não ser evitar alimentos muito quentes na primeira semana. 

 

Para maiores esclarecimentos, não hesite em entrar em contato.

 

kris@otorrinobrasilia.com


.
Home | Currículo | Áreas de Atuação | Trabalhos Científicos | Blog de Otorrino | Twitter
Ronco e Apneia | SinusiteDesvio de Septo  |  Otites  | Dor de Garganta / Amigdalites  |  Labirintite  |  Clube das ITES
Área da CriançaGripe H1N1  |  Orelha de Abano  |  Curiosidades da ORL  |  Aulas Online
Laringoscopia  | Cirurgias Otorrinolaringológicas  |  Dicas para a hora da cirurgia  |  Cirurgia a LASER  |  Implante Coclear
Contato | Consultas | Convênios

.
Copyright (c) 2008. Dr. Krishnamurti Sarmento Junior. A reprodução do conteúdo deste sítio, em parte ou na íntegra, em meio impresso ou eletrônico necessita de expressa autorização do autor. Otorrino Brasilia.