CARINA ™ - O Aparelho Auditivo Totalmente Implantável

(Aparelho Auditivo implantado por cirurgia, sem parte externa)

Carina - Aparelho Auditivo Implantável por Cirurgia
              Há algum tempo a indústria de aparelhos auditivos vinha tentando criar um aparelho auditivo que pudesse ser totalmente implantado dentro do ouvido, isto é, que não tivesse partes externas visíveis. Vários protótipos foram criados, alguns inclusive chegando ao consumidor final, mas ao que parece o CARINA foi o primeiro a atingir um nível de eficácia satisfatório

O Carina é um aparelho auditivo implantado cirurgicamente e fica completamente embaixo da pele.

Como funciona o Carina?

Carina - Aparelho Auditivo implantado com cirurgia          O Carina é um aparelho auditivo implantável cirurgicamente. Nenhum de seus componentes é externo, tudo fica embaixo da pele. Sendo assim, o paciente usa o aparelho 24 horas por dia e nunca o remove. Também não precisa se preocupar em não molhar o aparelho (está totalmente protegido e invisível sob a pele) nem apresenta o incômodo da sensação de oclusão do canal auditivo.

Quem pode usar o Carina?

          O aparelho está liberado para uso em adultos e adolescentes com perdas auditivas leves a moderadas que, por vários motivos, não se adaptaram com os aparelhos auditivos convencionais.
           O Carina não está liberado (ainda) para uso em crianças e não está indicado para pacientes com perdas severas a profundas (estes casos podem se beneficiar de um implante coclear - veja aqui).

O Carina não é um implante coclear!

          Implantes cocleares são para pessoas com perda auditiva severa ou profunda (surdez). O Carina é um aparelho auditivo implantável, isto é, tem as mesmas indicações e uma potência (capacidade de amplificar o som) semelhantes a de um aparelho auditivo convencional. Está indicado para perdas leves a moderadas. São candidatos ao Carina aqueles pacientes que não querem ou não conseguiram se adaptar bem a um aparelho auditivo, seja porque sentem dor, coceira ou irritação no conduto auditivo ou ainda porque não querem usar um aparelho auditivo que seja visível.

Se o aparelho fica totalmente sob a pele, como troca a bateria?

         Não há necessidade de trocar a bateria. A mesma bateria dura cerca de 15 anos.
        Mas é necessário sim recarregar a bateria quase que diariamente. Para fazer a recarga, o paciente usa uma espécie de carregador magnético, que gruda na pele, exatamente sobre o local onde está o implante (que fica sob a pele, atrás da orelha), como se fosse um imã. Após cerca de uma hora, o Carina estará carregado (durando a bateria então cerca de 30 horas). Durante o período de recarga, o aparelho continua funcionando.
        Esse carregador magnético, por sua vez, precisa ter sido previamente carregado na tomada.
       Dessa forma não é preciso que a pessoa fique presa por nenhum fio perto de uma tomada durante o carregamento (o que seria péssimo...).

Onde fica o microfone que capta o som ambiente ?

         O microfone fica sob a pele, na ponta da mastoide (esse ossinho que fica atrás do ouvido). É justamente aí que está o maior salto tecnológico do Carina: o microfone ser sensível o suficiente para captar o som ambiente através da pele e ao mesmo tempo cancelar os ruídos corpóreos (respiração, pulsação, movimento de músculos e articulações).
         O sistema de filtração de som do Carina faz realmente um trabalho tão extraordinário que já é cobiçado por outras empresas do ramo de aparelhos auditivos e implantes cocleares.
         Nenhuma parte do aparelho fica dentro do conduto auditivo (canal do ouvido), que permanece completamente desobstruído.

Se o vídeo acima estiver sem legenda em português, passe o mouse sobre ele e depois clique no ícone "legendas" para ativá-las, como mostra a figura abaixo.