Sinusite

O que é sinusite ?

         É a inflamação dos seios da face.
        Os seios da face são cavidades que ficam ao redor do nariz e são preenchidas por ar. Na verdade a denominação mais adequada é "seios paranasais".
        Os seios da face têm uma razão de existir. Na eventualidade de um trauma, eles absorvem (dispersam) o impacto e transmitem menos energia cinética para o cérebro. Além disso, se não houvesse os seios paranasais os ossos do crânio e da face seriam compactos e com isso a cabeça seria muito mais pesada.
Essas cavidades paranasais são revestidas (forradas) internamente por mucosa, semelhante à do nariz. Isso significa que dentro dos seios paranasais também é produzido muco. Esse muco é escoado para o nariz, com o qual os seios paranasais se comunicam através de pequenos túneis.
Se por acaso esses túneis ficam obstruídos (seja por secreção, pelo inchaço da própria mucosa ou por outra causa), o seio da face pode tornar-se uma cavidade sem comunicação com o nariz, totalmente selada, também sem aeração. Assim como acontece com as paredes de um quarto quando o deixamos totalmente trancado (sem ventilação) por muito tempo, a mucosa que reveste os seios da face vai ficando doente, inflamada. O muco que ela produz não tem para onde ir e acaba acumulando e facilitando a proliferação de bactérias. Está formada a sinusite.

O que é sinusite aguda?

           Sinusite aguda é a inflamação recente (que começou há pouco tempo) da mucosa do seio paranasal. Normalmente é uma complicação de um resfriado. O paciente vinha resfriado, apresenta uma melhora inicial para depois piorar com secreção nasal esverdeada, dor no rosto (mais intensa), nariz entupido e por vezes febre. É tratada com antibióticos e não costuma deixar sequelas. Todos nós estamos sujeitos a ter uma sinusite aguda vez por outra.

O que é sinusite crônica ?

             É a inflamação da mucosa dos seios da face que já dura mais tempo (meses ou anos). Os sintomas da sinusite crônica são menos exuberantes e mais variados que os da sinusite aguda. Alguns pacientes queixam-se mais de nariz entupido, outros de uma secreção que "desce" para a garganta e provoca tosse ou mau hálito. Há ainda a dor de cabeça frontal (em cima dos olhos) ou dos lados do nariz. Todos esses sintomas podem ir e vir.
              Quem tem sinusite crônica está ainda propenso a apresentar "episódios de agudização", isto é, quadros semelhantes a uma sinusite aguda, de forma recorrente.
            Muitas vezes a sinusite crônica é causada por algum obstáculo à drenagem dos seios da face para o nariz, como o desvio de septo ou a hipertrofia de corneto.
             O melhor exame para detectar a sinusite crônica é a tomografia de seios paranasais.

No laudo da minha tomografia está dizendo que eu tenho "pólipo ou cisto de retenção". O que isso quer dizer ?

              Pode não ser nada demais como também pode ser algo que mereça tratamento, até mesmo cirúrgico.
            O seio maxilar, em especial, é propenso a imagens sugestivas de "cistos de retenção" ou pólipos. Isto porque, como já explicamos acima, todo seio paranasal é uma cavidade oca, revestida por mucosa e que portanto produz muco. Esse muco tem que necessariamente escoar para o nariz. No caso específico do seio maxilar, contudo, a abertura por onde o muco drena para o nariz fica próxima ao teto do seio, não no assoalho. Apesar da mucosa possuir um sistema de batimento de cílios que conduzem o muco em direção ao orifício de drenagem, a própria gravidade atua contra isso. Sendo assim, não é raro encontrar-se pequenas "poças" de muco acumuladas no assoalho dos seios maxilares, que na imagem da tomografia são descritas como "cistos de retenção" ou "pólipos". Na maioria das vezes essas imagens são achados tomográficos sem maior relevância. Se o paciente não tiver queixas compatíveis com sinusite, elas sequer precisam ser tratadas.
            Entretanto, existem também os pólipos nasais, que são uma doença relacionada à sinusite crônica e que muitas vezes exigem tratamento cirúrgico.
            Para tirar a dúvida, o correto mesmo é levar o exame ao seu otorrinolaringologista e deixar que ele o esclareça do que se trata.

 O que são pólipos nasais ?

              Pólipos nasais, ou polipose nasal, ou ainda polipose nasossinusal são formações peduculadas (únicas ou em cachos) que surgem dentro do nariz e nos seios da face. Não são tumores e definitivamente NÃO guardam NENHUMA relação com câncer. Trata-se de um tipo especial de sinusite crônica.
            Os pólipos nasais podem crescer e causar obstrução nasal severa. Em muitos casos é necessária a cirurgia. Contudo, só a cirurgia não é suficiente, pois os pólipos podem voltar. É imprescindível um acompanhamento rigoroso no pós-operatório e uso de medicação para evitar as recidivas. Não é raro, contudo, que pacientes com polipose nasal necessitem de mais de uma cirurgia ao longo da vida.
                A cirurgia para pólipos nasais é igual à cirurgia para sinusite crônica (que está explicada abaixo), ou seja, é uma vídeo-cirurgia (endoscópica). No caso da polipose, pode-se ainda utilizar aparelhos como o microdebridador que auxiliam na remoção dos pólipos com menor sangramento e melhor cicatrização.

Quem tem sinusite crônica tem que operar ?

              Não necessariamente. O importante é garantir a ventilação adequada dos seios da face.
            Algumas vezes é possível fazê-lo apenas com medicamentos (em geral antibióticos e sprays nasais). Muitas vezes, no entanto, para garantir uma boa ventilação dos seios da face é preciso corrigir defeitos anatômicos como o desvio de septo e a hipertrofia de cornetos. Outras vezes só é possível restabelecer a comunicação do nariz com os seios da face alargando cirurgicamente os canais de drenagem e removendo a mucosa doente e a secreção espessa que os está entupindo.
            Muitas das dúvidas sobre cirurgia da sinusite são as mesmas da cirurgia de septo e cornetos. Veja aqui uma seção de perguntas e respostas sobre cirurgia nasal.

Como é a cirurgia para sinusite ?

      Muitas pessoas já ouviram falar da tal "raspagem". Antigamente a cirurgia dos seios paranasais era mais ou menos isso mesmo: raspar as cavidades por dentro com "curetas". Isso não é feito mais. O princípio básico da cirurgia é garantir uma comunicação ampla, adequada do seio da face com o nariz. Havendo ventilação, a mucosa do seio paranasal se recupera.
       A cirurgia hoje em dia é toda feita por dentro do nariz (através das narinas, que são os orifícios naturais do nariz), sem incisões na pele. Tudo é feito com o auxílio de endoscópios, que são espécies de microcâmeras que permitem ao cirurgião ver dentro do nariz e operar através do monitor (televisão). Trata-se portanto de uma vídeo-cirurgia.